Fapema apresenta novas linhas de atuação e programas

[rrssb buttons="whatsapp, facebook, linkedin, twitter, gplus, email"]

Foto 1 Hamilton Catanhede  Fapema - Oficina de PlanejamentoO presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), Alex Oliveira, apresentou na tarde desta quarta-feira (25), no auditório do prédio de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), as novas linhas de atuação da fundação e os programas “Universidade de Todos Nós” e “Tecnologias Sociais”.

A apresentação aconteceu durante oficina de Planejamento e Participação Social (OPPS) que será realizada até esta quinta-feira (26). O secretário de Estado de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectec), Bira do Pindaré; Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), Francisco Gonçalves; e Extraordinária da Juventude (Seejuv), representada pelo Superintendente de Políticas Públicas, Laércio José Carvalho Pereira, participaram da abertura do evento, do qual são parceiros.

O objetivo da oficina é apresentar e consolidar um novo posicionamento da Fapema que busca dar voz não só para a comunidade acadêmica, mas também para os segmentos sociais em torno de uma construção conjunta em prol das mudanças propostas pelo governador Flávio Dino.

“É a construção coletiva do conhecimento. Estamos propondo discussão de dois Programas da Fapema que terão seus editais construídos a partir desse entendimento com as Universidades, sociedade civil organizada, movimentos sociais, juventude e institutos de pesquisas”, disse o presidente da Fapema, Alex Oliveira.

O secretário da secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Bira do Pindaré, ressaltou a importância do encontro. “A Fapema está dando o máximo de transparência possível nos seus atos na forma de construir as suas ferramentas de apoio ao desenvolvimento científico e tecnológico do Maranhão”, afirmou.

O programa “Universidade de Todos Nós” tem como objetivo fomentar projetos de extensão universitária de curta duração executados no estado, pautados na parceria entre universidade e comunidade, de forma a aliar pesquisa científica e/ou desenvolvimento científico tecnológico ao saber popular. Para tanto serão alocados recursos na ordem de R$ 400 mil para financiamento de 40 projetos de R$ 10 mil para cada extensão universitária.

Já o Programa Tecnologias Sociais, que será pauta de discussão do encontro desta quinta-feira (26), tem a proposta de amparar projetos de pesquisa científica e tecnológica em quatro faixas de atuação. O recurso para esses projetos, que irão trabalhar a superação de problemas socioeconômicos, será de R$ 1 milhão.

“Acredito que a participação de todos aqui, atendendo nosso chamado para discutir os rumos da universidade é muito importante para Fapema, porque isso já é inovação. Nós queremos construir uma prática participativa para elaboração de editais na Fundação. A partir desses dois dias nós vamos tabular as informações produzidas pela sociedade e vamos elaborar dois editais, que serão divulgados no final de março juntamente com os demais editais da FAPEMA “, comemorou Alex de Oliveira.

Fortalecimento da pesquisa
O Secretário Bira do Pindaré fez questão de destacar que a ação está afinada com o governo Flávio Dino. “O primeiro aproxima bastante a instituição do interesse da nossa população, porque visa incentivar pesquisas que vão fortalecer projetos de extensão das universidades e outro vai fortalecer a geração de novas tecnologias, novos conhecimentos na área social, então são iniciativas importantes e também se transformam em algo importante pela metodologia, democratização do processo de construção dos editais da FAPEMA”, considerou.

Para o secretário Francisco Gonçalves a destinação de recursos públicos para ações com propósitos de transformação social, exige a participação popular. “Uma das marcas do governo Flávio Dino é a participação popular, se nós estamos lidando com recursos públicos para financiar pesquisa científica no Maranhão, o debate não pode ter apenas comunidade científica, com instituições universitárias, mas também tem que ter outros atores sociais, já que toda produção científica precisa ser transformada também em conhecimento socialmente útil, que contribua para mudar a vida e qualidade da vida das pessoas do estado do Maranhão”, observou.

O superintendente de Políticas Públicas da secretaria de Juventude, Laércio Pereira, parabenizou a Fapema por trazer o diálogo de produção de editais para a sociedade e pela participação ativa de jovens no evento. “São ações como essas, pontuais, que são mais estruturantes e importantes para o estado, e bastante atuais e arrojadas com a lógica do atual governo”, disse.