Estado intensifica ações pedagógicas para avaliações nacionais

[rrssb buttons="whatsapp, facebook, linkedin, twitter, gplus, email"]
Escolas de Caxias promovem simulados para o Enem e Prova Brasil. Fotos: Matheus Marques

Escolas de Caxias promovem simulados para o Enem e Prova Brasil. Fotos: Matheus Marques

As Unidades Regionais de Ensino (URE) de todo o Maranhão estão mobilizadas no sentido de apoiar os estudantes e professores para as avaliações nacionais (Prova Brasil e Exame Nacional do Ensino Médio – Enem, e do Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior (Paes), da Universidade Estadual do Maranhão). Todas seguindo a orientação do Governo do Estado, por meio do Programa ‘Escola Digna’, macropolítica de Educação desenvolvida pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), que tem o objetivo de construir uma escola acolhedora, democrática, participativa, inclusiva e que seja, de fato, geradora de uma educação cidadã, capaz de transformar e libertar.

Na URE São Luís, as escolas estão empenhadas na realização de ações de pedagógicas, aproximando pais e comunidade do ambiente escolar para a compreensão da importância das avaliações de larga escala para melhoria dos indicadores educacionais. A exemplo da escola Cidade Operária I, que vem realizando simulados com os estudantes aos finais de semana e mantendo uma agenda de reuniões com os pais. De acordo com o gestor Francisco de Assis Silva de Deus, houve uma grande participação dos pais e estudantes nas atividades.

No Centro de Ensino São José Operário, o gestor geral, Jorge Luís dos Santos Pereira, faz acompanhamento do trabalho didático–pedagógico dos professores, e para os alunos da 3ª Série do Ensino Médio, de modo que eles se sobressaiam com bom desempenho no Enem. Em comum acordo com a comunidade escolar, foi implantado o 7º horário no diurno (matutino e vespertino) e as atividades e provas são contextualizadas seguindo o padrão das avaliações de larga escala. “Complementando as atividades realizamos dois simulados por ano e as questões são retiradas do banco de provas de exames anteriores, sendo associadas aos conteúdos desenvolvidos em sala”, explicou.

Ainda na regional São Luís, no Cegel, desde fevereiro, os estudantes têm aulas todos os sábados. “A intenção é que no período dos exames eles tenham completado todo o conteúdo necessário para as provas”, explica a diretora-geral, Regina Pereira. Na última semana, foram iniciadas na escola oficinas, que acontecerão aos sábados, somente com os alunos da 3ª série do Ensino Médio, que serão submetidos as provas do Enem e do Paes, da Uema. “A intenção é canalizar melhor os objetivos, quer de conteúdo, quer de incentivo para a execução das provas”, pontuou.

Já em Presidente Dutra, a URE está realizando o Enem Popular, que além de estimular os estudantes à participação no exame apoia os jovens para a avaliação. De acordo com a gestora Maria das Graças de Oliveira Lima Cavalcante, eles vem pondo em prática um projeto de parceria com algumas organizações. “Igrejas e até algumas empresas são parceiras nessa missão, tudo com a intenção de obtermos melhores resultados nesse exame nacional e, consequentemente, a melhoria da aprendizagem”. E completou, “nossa URE está radiante com os bons resultados já alcançados nesse projeto, em tão pouco tempo, pois o número de estudantes participantes superou nossas expectativas e só tende a aumentar”, comemora.

De acordo com o professor José Raimundo, da URE de Presidente Dutra, a ideia do projeto é de expansão para todos os municípios jurisdicionados à regional. “As primeiras aulas ministradas foram de Física e ocorreram na Primeira Igreja Batista de São Domingos do Maranhão. Devemos acreditar que se trabalharmos em equipe e com otimismo, haveremos de mudar e melhorarmos os indicadores educacionais do Maranhão”, pontua.

CE-Paulo-Freire-Loreto-Balsas-1024x683Na URE de São João dos Patos, a gestora Luciana Borges Leocádio, reuniu pais, estudantes e funcionários no município Sucupira do Riachão, para apresentação e discussão dos índices do Enem e incentivo aos estudantes para participação no exame e o envolvimento dos pais em questões pedagógicas.

Paralelo a isso, a Seduc também realiza um conjunto de ações estratégicas, tais como: formação continuada de professores nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática e Letramento em todas as áreas; elaboração dos cadernos de atividades com o foco no Enem para distribuição às escolas; reorganização do currículo escolar, tendo como referência a Base Nacional Comum; implementação das Diretrizes Curriculares do Estado; unificação das matrículas com a ampliação da carga horária dos docentes; entrega de material com orientações para funcionamento das escolas em 2015; avaliação para diagnóstico da realidade maranhense, que será aplicada nas escolas estaduais; mobilização com a comunidade escolar, tendo como foco a avaliação da aprendizagem; ações formativas do Pacto Nacional pelo fortalecimento do Ensino Médio, em parceria com a Universidade Federal do Maranhão; e, a partir de 2016, a criação de cinco Centro de Educação Integral de Ensino Médio e a implantação de 30 Núcleos da Educação Integral para o Ensino Médio, com elaboração e acompanhamento do Projeto de Educação Integral no estado.

No campo da infraestrutura das escolas, o governo está contratando empresas de manutenção para atender às escolas em todas as 19 Unidades Regionais de Educação. O plano de manutenção contempla, inicialmente, obras em escolas das Unidades Regionais de Educação (UREs) de Itapecuru; São João dos Patos; Presidente Dutra, São Luís e Caxias e, posteriormente nas demais UREs. Só na região de São Luís são 158 escolas, das quais 130 unidades passarão por obras de manutenção de rotina e outras 28 por reforma imediata.

“As ações desenvolvidas no governo Flávio Dino estão acontecendo de forma articulada e em rede, reunindo esforços a fim de que haja melhoria dos indicadores educacionais, com a garantia de uma escola com infraestrutura adequada, valorização docente, gestão democrática e participativa e, sobretudo, que assegure a aprendizagem dos estudantes”, destacou a secretária de Estado da Educação, Áurea Prazeres.

A Secretaria de Educação também está conclamando os grêmios estudantis para mobilizar os estudantes nas escolas para as avaliações de larga escala. O Governo do Estado também lançará o Programa Mais Grêmios, no intuito de incentivar a criação de grêmios estudantis em toda a rede estadual de ensino.

Prova Brasil
Além dos simulados e ações pedagógicas direcionadas ao Enem 2015, os esforços estão também voltados para a Prova Brasil, que é a avaliação nacional do rendimento escolar, que tem componentes para o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Com estímulo da Seduc, todas as escolas do Estado estão aplicando simulado para a Prova Brasil.

Destaque
O estudante Walerson Lacerda de Almeida, 18 anos, da escola estadual CE Manuel Beckman, foi o segundo melhor colocado na 2ª chamada do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), no mês de julho, para o curso de Medicina, da Universidade Federal do Maranhão. O estudante já havia sido aprovado na para os cursos de Direito e Engenharia Civil.

Segundo ele, dedicação e apoio dos professores foram fundamentais para que o projeto de cursar Medicina fosse alcançado. A família foi outro grande incentivo para o sucesso. “Meus pais sempre me apoiaram”, ressaltou o jovem. “Meus professores sempre me incentivaram e ajudaram a buscar o curso que sempre sonhei. Tive todo o suporte necessário para que pudesse conseguir. Horas de estudo em casa, inclusive, quando recebi a notícia que tinha sido selecionado eu estava estudando para Física”, ressaltou Walerson.

Maria de Ribamar Silva, professora de Língua Portuguesa da instituição onde o estudante se formou, ressalta a importância que tem a estrutura e suporte necessários para o corpo discente. “Para nós foi maravilhoso e gratificante ver esse resultado, pois trabalhamos o ano todo a fim de alcançar esses objetivos. O fato dele tirar 960 na redação, é a prova que educação de qualidade agregada ao interesse pessoal pode levar o estudante a aprovações e ingresso nas universidades públicas”, frisou a professora.