Primeiras unidades do Iema iniciam atividades em fevereiro

[rrssb buttons="whatsapp, facebook, linkedin, twitter, gplus, email"]

Estudantes do Ensino Médio das cidades de São Luís, Bacabeira e Pindaré-Mirim terão um importante ganho no acesso à educação pública e ao ensino profissionalizante já no início do ano letivo de 2016. No mês de fevereiro, começam a funcionar as primeiras unidades do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema) nessas cidades.

O projeto, anunciado pelo governador Flávio Dino no começo deste ano, se destina à criação da rede de educação profissional e tecnológica, a exemplo do que faz o Governo Federal, e chegará a 23 municípios em todas as regiões do estado até o final de 2018. Para instalação das três primeiras unidades, foram considerados aspectos como a demanda por esse tipo de formação e a disponibilidade de estrutura física para funcionamento dos institutos.

“Estamos acompanhando as condições que encontramos, adaptando prédios e reformando-os. Começamos nesses municípios porque encontramos condições objetivas e facilitadoras de aproveitamento de prédios já existentes para funcionamento dessas unidades”, explicou o secretário da Ciência, Tecnologia e Inovação, Bira do Pindaré.

Em São Luís, o Iema será instalado no prédio do antigo colégio Marista, onde já existe uma escola de tempo integral. A obra de adaptação dessa unidade foi autorizada pelo governador Flávio Dino no último dia 11 e o investimento será de R$ 2,5 milhões, aplicado em pequenas intervenções na parte interna do prédio.

Posteriormente, obras maiores serão feitas e incluem o ginásio, os laboratórios, o refeitório e as salas de aula. Já nas primeiras unidades do interior a infraestrutura está praticamente concluída. “Em Pindaré-Mirim vamos utilizar um prédio novo, e em Bacabeira, um edifício que havia sido construído pela prefeitura em parceria com a Petrobrás. E o diferencial é que são escolas completamente adequadas para o estudo em tempo integral, com salas de aula climatizadas, laboratórios, bibliotecas, áreas para recreação e lazer dos alunos”, explicou Bira.

Ainda de acordo com o secretário, a meta é implantar 23 unidades plenas do Iema até 2018. Para isso, etapas como a estrutura dos projetos para cada município, aquisição dos terrenos e definição do modelo pedagógico já foram realizadas. “Nas unidades que funcionam a partir de fevereiro, também já avançamos em todo o cronograma de seleção de professores, matrícula dos alunos, capacitação dos professores e recepção dos alunos”, informou.

Audiência pública

Entre os dias 24 e 27 deste mês, a Secti vai promover audiências públicas para definir os cursos oferecidos nas três primeiras unidades. As reuniões são abertas ao público e o cronograma pode ser conferido no site da secretaria http://www.secti.ma.gov.br/files/2015/11/EDITAL-0032015-AUDI%C3%8ANCIA-P%C3%9ABLICA.pdf .